Tártaro é aquela “crosta” que fica agarrada ao dente, muitos pacientes relatam que parece um pedacinho de “pedra” grudado no dente.

Existem pessoas que estão mais propensas a terem tártaros como fumantes e diabéticos

O tártaro também é conhecido como cálculo dental, é formado pela placa bacteriana que endurece e se calcifica nas superfícies dos dentes. O importante é não deixar a placa se calcificar, e para evitar que isso aconteça deve-se fazer uma higiene bucal adequada.

Existem 2 tipos de tártaro: Supra-gengival e sub-gengival.

O tártaro supra-gengival (salivar): localiza-se acima da borda da gengiva, sendo observada ao exame visual. Apresenta coloração esbranquiçada ou amarelada, é quebradiço e destaca-se com facilidade. Deposita-se rapidamente e são mais comumente encontrados nas superfícies adjacentes às glândulas salivares.

Tártaro sub-gengival: é encontrado abaixo da borda da gengival, impossibilitando sua observação ao exame visual. Em certos casos, pode ser visto por transparência nos tecidos gengiva, dando a esta uma coloração escurecida. Apresenta uma consistência mais firme quando comparada ao tártaro supra-gengival, encontra-se fortemente aderida à superfície do dente, e possui coloração enegrecida ou esverdeada.

Como se trata o tártaro?

A remoção do tártaro é feita pelo dentista utilizando-se instrumentos manuais para fazer a raspagem, como os extratores de tártaros, curetas e o ultrassom odontológico.

O que acontece se não tratar o tártaro?

A formação do tártaro e a placa bacteriana depositada entre a gengiva e o dente causam uma inflamação na gengiva, denominada gengivite, cujo primeiro sintoma é o sangramento, inchaço e inflamação gengival. É o estágio inicial da doença, caso a gengivite não seja tratada, o problema poderá evoluir para uma periodontite. As bactérias se alastram pelo interior da gengiva formando cavidades profundas entre a raiz do dente e o osso subjacente; são chamadas bolsas periodontais. Se o processo continuar poderá levar a destruição dos tecidos de sustentação e do osso que suporta os dentes, fazendo com que os dentes mudem de lugar ou se tornem moles, evoluindo para a perda do dente.

A forma mais eficaz de prevenir a formação do tártaro é por meio da realização da higiene bucal adequada, escovando os dentes após as refeições, fazer o uso correto do fio dental, além de visitar o dentista regularmente para a manutenção periódica do tratamento.

vídeo: